ENTRE:UM performance em duas temporalidades de um mesmo corpo

Após apresentar minha última instalação ENTRE na Mostra Imagem Experimento, fui provocada por Malu Fragoso a transformá-la em uma performance para a exposição EmMeio#4.0 no Museu Nacional da República de Brasília, na ocasião do 11 Encontro Internacional de Arte e Tecnologia (#11ART). A possibilidade de expor minha relação pessoal com meu trabalho me deixou empolgada, pois não só poderia mostrar um pouco mais do meu processo criativo, mas sobretudo a minha relação com o tipo de sensor que utilizo, o kinect. Essa oportunidade é muito importante para mim, pois minha dissertação trata da sensibilidade artificial e a relação de nosso corpo com ela na experiência artística em instalações interativas. Para esta performance contei com o apoio de meu amado Cadu Sampaio para o desenvolvimento do som.

Para desenvolver a performance separei em seis momentos. Início (1) entro em cena, meu corpo é capturado apenas como imagem, como em um reflexo, o som que se sobressai é o de minha voz, som do meu corpo. Depois meu corpo aparece na forma de dados (2), o som já se tornou digital, sons pontuais assim como minha figura digitalizada. Neste momento procuro me relacionar com este sensor, tentando provocá-lo. Esta etapa reflete todo o meu ano de experimentações com o kinect, meu processo de desenvolver uma instalação em que a primeira pessoa a testar incessantemente sou eu mesma. Neste meio tempo pude perceber as peculiaridades do sensor, aqui procuro não me referir a estas como limitações, mas apenas a este tipo de sensibilidade artificial). Assim procuro movimentos mais rápidos ou que escondam parte de meu corpo, tentando provocar o sensor a “errar” meu corpo, mas ao mesmo tempo buscando sempre seguir o que ele acredita ser meu corpo, um jogo “coreográfico” com a máquina. Assim, saio de cena (3), e fica evidente agora para o público que meu corpo estava sendo capturado e a cena agora possui um corpo presente apenas virtualmente. Em termos sonoros, o som continua o mesmo apenas um pouco mais distante. Quando retorno a cena (4) posso explorar o espaço buscando me relacionar com o meu corpo anterior. Esta relação se apresenta de forma visual e sonora a cada vez que me aproximo do local onde estaria meu corpo anterior.

É aí que meu corpo é dividido (5) como na instalação ENTRE, metade imagem e metade dados, porém desta vez esta divisão não está fixa e acompanha meu corpo. O som permanece o mesmo das conexões, acrescentando um efeito para quando os lados se alternam. Por último, o tempo-presente deixa de ser o único em evidencia e aos poucos, o intervalo entre meu corpo-de-agora e meu corpo-anterior vai preenchendo toda a projeção (6), como se esses corpos agora juntos já tivessem ocupado todo este espaço da performance.

O resultado da performance pode ser visto a seguir:

ENTRE:UM performance from Barbara Castro

 

Anúncios

ENTRE na Mostra Imagem-Experimento

This week I will be taking part in the IMAGEM-EXPERIMENTO exhibition. BETWEEN explores the opposition presence-absence, correlating the interactor’s body with an absent body that integrates the installation virtually as data.

Esta semana estarei participando da mostra IMAGEM-EXPERIMENTO com mais uma etapa do desenvolvimento de minha pesquisa. ENTRE explora a oposição presença-ausência, relacionando o movimento do corpo do interator com um corpo ausente que integra a instalação virtualmente a partir de dados previamente capturados.

Galeria EBA7 – Cidade Universitária (Fundão) – Prédio da Reitoria – 7o. Andar

Quarta-feira – 29 de agosto – De 16:30 às 18h

Quinta-feira – 30 de agosto – de 9h as 17h

A exposição integra o 7o. Simpósio de Arte Contemporânea, uma parceria entre a UFSM e a UFRJ, por isso o Simpósio contará com palestras em Santa Maria e no Rio de Janeiro. Os dois campus estarão conectados via videoconferência. Segue embaixo a programação.

Ecologias Hiperorgânicas no VIVO ARTE.MOV

  I was invited to join the NANO-UFRJ team by Guto Nóbrega to collaborate in the ‘Ecologia Hiperogânicas’ project that will be exhibited in VIVO ARTE.MOV. My role was to develop a visualization of the public approximation to the robot that is projected inside it’s belly. Testing video down below.

 

O artista-pesquisador Guto Nóbrega me convidou para participar de um projeto do Núcleo de Arte e Novos Organismos (NANO-UFRJ) que vai ser exposto esta semana no evento VIVO ARTE.MOV no Parque das Ruínas em Santa Tereza. Ele foi convidado para dar uma palestra na quinta as 19:30 e de quebra vai expor o robô que desenvolveu para a performance Frágil que foi apresentada no ano passado no Desafios de Cultura em Rede. Na ocasião, o robô projetava imagens da performance; para o novo evento Guto me convidou para desenvolver uma visualização da aproximação dos interatores, visto que não teria a performance. Além disso, o desenvolvimento contou com a sonorização da mexicana Leslie Garcia e com a programação de Marlus Araujo, fotografado por Caio Chacal.

Mais informações sobre o processo de criação no site do Nano. Abaixo um registro dos testes. Mais imagens aqui.

INTEGRARTE no Festival Cultura Digital.Br

 
No dia 2 de dezembro tivemos a oportunidade de expor os experimentos interativos no Festival Cultura Digital.Br no MAM-RJ. Foi uma excelente oportunidade de entrar em contato com um público interessado de uma maneira um pouco mais informal. Para o Festival, desenvolvemos 4 experimentos distintos. Cada um deles interpretava os movimentos do interator em formas visuais e sonoras, explorando diferentes relações corporais. Os experimentos foram desenvolvidos utilizando o Microsoft Kinect, já citado aqui no blog em diversos posts. Para a programação utilizamos o Processing junto com o Simple OpenNI para acessar os dados do kinect. Os dados do corpo do interator eram utilizados para criar os desenhos dentro do Processing. Utilizamos também a biblioteca rwmidi para converter os dados do kinect para dados midi a serem enviados para o Ableton Live em que são controlados os sons interativos. Foi uma excelente experiência que já está se desdobrando na nova fase do projeto. Mais notícias em breve, aguarde!

Festival Cultura Digital.Br

É com enorme prazer que anuncio que os experimentos INTEGRARTE ENTREGARTE vão estar sendo realizados no MAM-RJ durante o Festival Cultura Digital, na tenda Visualidades. Gostaria de agradecer profundamente a todos que apoiaram a inscrição do projeto no Festival.

Data: Sexta-feira, 02/12/2011                 Horário: de 14h as 19:30

INTEGRARTE ENTREGARTE

O Festival conta com uma programação muito rica e diversa, confira no site! Uma importante iniciativa para reunir os interessados e proliferar  as discussões acerca da Cultura Digital. Vale relembrar que o tema será abordado sob aspectos políticos, sociais, artísticos, ambientais entre outros, criando uma enorme plataforma de colaboração e cooperação coletiva que vai reunir mais de 100 atividades durante os três dias no MAM e no ODEON. Não percam!!

Gostaria de avisar também que o Laboratório de Visualidades e Visualizações (EBA/UFRJ) também fará parte da programação. A Prof. Dra. Doris Kosminsky, coordenadora do LabVis apresentará os projetos desenvolvidos no último semestre em uma palestra na Mostra de Experiências.

Data: Sábado (03/12)               Horário: 14:35

Loss.Layers – FAD 2011

Post Expresso! Começou ontem em Belo Horizonte o Festival de Arte Digital(FAD) em que ocorre exposição, performances e simpósio. Ontem, hoje e amanhã vão ser apresentadas as performances selecionadas.

A estréia coube aos franceses da A.lter S.essio que apresentou a performance Loss Layers. “Três elementos são desenvolvidos simultaneamente: som, imagem e corpo. Duas disputas que questionam situações de perda em um mundo hostil. O espectador está perdido entre ilusão e realidade.” Para quem não pode estar em Minas como eu, aqui está alguns registros da montagem que aconteceu ano passado no Mapping Festival em Geneva.

#10.ART Encerramento surpresa – Tania Fraga

Infelizmente Ana Mãe Barbosa não pode comparecer para a palestra de encerramento. Porém tivemos a ilustre presença surpresa de:

Tania Fraga.
A artista vem desenvolvendo pesquisa e produção artística “com arte computacional interativa desde 1987, usando tecnologias computacionais de realidade virtual, computação afetiva e física. Artista e arquiteta, é co-autora do projeto de arquitetura do Instituto de Artes da UnB, doutora em comunicação e semiótica pela PUC/SP, e foi professora do Instituto de Artes da UnB onde atua como pesquisadora associada. Desenvolve a pesquisa de pós-doutoramento senior, ‘Tessituras Numéricas’, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.”

Durante sua fala, Tania demonstra imensa paixão pelo que faz, domínio e envolvimento em todas as esferas de conhecimento que uma produção em arte e tecnologia agregam.

Enigma

Enigma é um objeto robótico cujas respostas aos movimentos do interator acontecem através de mudanças nas manchas luminosas que se movimentam em seu interior. Como realizar as mudanças é um enigma a ser descoberto pelo interator.

Caracolomobile from Tania Fraga on Vimeo.

“Caracolomobile é um organismo artificial construído em titânio que percebe e discrimina três estados emocionais humanos e responde a eles expressando-se com sons e movimentos. Explora possibilidades simbióticas entre humanos e máquinas, utilizando procedimentos robóticos e de computação afetiva.” Esta obra é o assunto do artigo publicado nos anais do #10ART
Tania Fraga e com Suzete Venturelli são as responsáveis pela primeira edição do Encontro Internacional de Arte e Tecnologia, em 1989.

Suzete Venturelli
Professora, pesquisadora e artista de computação do Instituto de Artes da UnB. Trabalha na área desde 1987 e atualmente coordena o MidiaLab. Dentre as suas pesquisas, destacam-se as análises dos métodos computacionais utilizados para a criação artística nos aspectos da modelagem, animação, interatividade, realidade virtual, imersão em tempo real, assim como de criação de sistemas hipermidiáticos.

Expos no #10.ART a obra geopartitura desenvolvida no , obra que permite a criação coletiva georeferenciada de um concerto multimídia em tempo real. O sistema formado por software e dispositivos móveis permite a apresesentação de um concerto multimídia cuja composição é realizada ao vivo em tempo real, por pessoas conectadas ao sistema pelos seus celulares. A primeira versão exposta utilizava a distância das pessoas conectadas para influenciarem no som, sendo uma música executada a distância, em que cada pessoa representa um nó.

Já a segunda versão, apresentada no #10.ART, adaptava o sistema para uma interface multitoque.

As duas artistas então são responsáveis por esse grande evento que pude acompanhar na última semana e que Lucia Santaella tem toda razão em relembrar o empenho e perseverança de se mantê-lo no Brasil, em que muitos projetos não tem continuidade. Hoje o Encontro Internacional de Arte e Tecnologia já dura uma semana muito intensa em que as comunicações duram o dia inteiro, englobando não somente pesquisas relacionadas especificamente a arte e tecnologia, mas artistas e pesquisadores que se interessam por discutir o estado atual da arte e nossa realidade social cultural imersa nessa tecnologia inevitável. É com imenso prazer que finalizo os posts sobre a edição de 2011 em que tive a excelente oportunidade de conviver não só com os maiores pesquisadores e/ou artistas da área, mas com muitos dos aspirantes e iniciantes a tal contribuição. Fico muito satisfeita mesmo de poder participar deste evento em que se discute teoria, conceito, prática e técnica. Agora vou passar um bom tempo tentando deglutir toda esta informação para, quem sabe, poder contribuir com a minha pesquisa na edição do ano que vem.

Obrigado a todos que acompanharam o blog. Essa minha iniciativa foi pela necessidade de documentação referida tantas vezes ao longo do #10.ART, relembro que o professor Cleomar Rocha também fez o possível para registrá-la em seu twitter. E convido a todos para continuar seguindo o blog, que retorna ao seu tema, unindo referências de obras, instalações, espetáculos e performances que exploram expressividades do movimento corporal. Estou aberta a sugestões. E quem gostou mesmo, pode curtir o blog pelo facebook e receber os posts diretamente em seu mural.